Pesquisar neste SITE

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

AMBRÓSIA

                                                                               Poesia de № 020


Jurava eu
Nunca mais amar
Pois já me decepcionara
Com quem seu amor
Não quis me dar

Andava eu
Sempre a jurar
Se não for com ela
Com mais ninguém será

Andava eu dizendo
Que minha vida estava vazia
Nada fazia mudar
Ela era quem eu queria

Andava eu filosofando
Na vida tudo muda, tudo passa,
Mas comigo nada mudava
E só o tempo passava

Apreciava eu,
Certo dia, da minha varanda,
A beleza da natureza numa janela
Foi aí que o tempo parou
E minha vida começou a mudar

Descobrir que existe
O plural de ela
Justamente naquela janela
Alguém me fazia pecar

E se jurando, pequei
O pecado devo pagar
Mas, se quem jura mente
Não é pecado voltar a amar

Hoje, juro eu
Nunca mais jurar ...
Eu juro.

                                                   André Caldas     23/11/94

Um comentário:

  1. Jura mesmo???? rsrs
    Adorei, more!! E já dei meus cliques de hoje também.. eu juro!! rs
    Bjks

    ResponderExcluir